A INSIGNIFICÂNCIA COMO DELÍRIO DE PODER

Produção Afinsophia. Significar é conter em si um corpo-valor referenciado ao outro como partícula linguística. O outro que domina o signo-valor como forma de conhecimento desse significar. Nada pode ser significado sem o conhecimento do outro. Todo significar necessita da tradução do outro. Ou seja, deve se situar na comunidade semiótica. Significar é transportar signos-comunicativos.  …

FILHO DE BOLSONARO DEPOIS DE AMEAÇAR FECHAR O STF COM UM SOLDADO E UM CABO, PEDE DESCULPA. O PEDIDO DE DESCULPA NÃO PASSA PELO SISTEMA NERVOSO CENTRAL, DIZ NIETZSCHE

Produção Afinsophia. Quem entende um pouco de psicanálise, que se tornou popular, como queria Freud, sabe muito bem entender os posicionamentos claros e ocultos de algumas pessoas. Pessoas simulam ser de uma forma, mas são diferentes do que simulam. Pessoas simulam não ser de uma forma, mas são igualmente o que simulam. Eduardo Bolsonaro, filho …

A CANTORA GAL COSTA, QUE NÃO É PSICANALISTA, MAS MOSTROU ENTENDER DE SINTOMA, DISSE QUE O ÓDIO DE BOLSONARO POR TRAVESTI PODE SER ATRAÇÃO

Produção Afinsophia. Para a psicanálise, sintoma é uma forma de sublimação de um conflito inconsciente que não pode se tornar consciente a não ser como mecanismo de defesa contra o impulso do reprimido. Em entrevista, a premiada cantora Gal Costa, teve, em relação ao comportamento de Bolsonaro, candidato da extrema-direita que espalha ódio contra tudo …

O ELEITOR-MÉDICO QUE NÃO APRENDEU A DIAGNOSTICAR VIDA-EROS E MORTE-TÂNATOS

Produção Afinsophia.  O estudante de medicina, em sua formação médica, vivencia várias disciplinas que são fundamentais para seu saber e dizer profissional. Entre elas, a psiquiatria. Nas aulas de psiquiatria o estudante não só aprende o que é neurose e psicose, como também aprende como se formam essas enunciações mentais. E nessa vivência, aprende a …

DEFENDENDO A LAVA JATO, A MINISTRA CARMEN LÚCIA DIZ QUE “A POLÍTICA É ESPAÇO DE PAIXÕES E O DIREITO O ESPAÇO DA RAZÃO” NEM UM NEM OUTRO

Produção Afinsophia.    A semiótica dominante é o precípuo instrumento dos que ainda não desconfiaram que a aparência não revela a essência ontológica do existir. É a semiótica que serve de verdade para os que ainda não entenderam o filósofo Nietzsche quando ele nos lembra que só devemos falar do que ultrapassamos. Nós ainda nos …