GGN: AGÊNCIA PÚBLICA JÁ MAPEOU OS ‘HERDEIROS DA VELHA ELITE ESTATAL’ NA LAVA JATO

APública entrevistou, em 2018, professor da UFPR que fez pesquisa para demonstrar que pessoas como Sergio Moro, Deltan Dallagnol e advogados ligados às delações são herdeiros de figuras do Judiciário e da política paranaenses.

O professor realizou pesquisa sobre a ‘República do Nepotismo’, utilizando a técnica de prosopografia (biografia coletiva de determinado grupo social ou político) para demonstrar que pessoas como Sergio Moro, Deltan Dallagnol e advogados ligados às delações são herdeiros de figuras do Judiciário e da política paranaenses.

Em sua entrevista, o professor Ricardo Oliveira diz que são velhos conhecidos, às vezes desde a infância, com pais que se conheciam, vida em comum. Ou seja, a mesma bolha, com as mesmas opiniões e gostos políticos e ideológicos. E todos conectados com a indústria advocatícia.

No estudo, o professor comprova que não existem, no grupo, emergentes ou pessoas novas, quiçá renovadoras, pois que no Paraná tais bolhas mostram que são todos herdeiros de uma velha elite estatal.

E não é só parentesco como também relações matrimoniais, de amizade e de sociabilidade. Junte-se a isso o corporativismo. E se forma, então, um grande circuito formativo ideológico de convivência. Sergio Moro, por exemplo, é filho de um professor universitário e tem um primo desembargador. Para o professor, tais teias formam um sistema pré-moderno, que não funciona através de regras impessoais ou de aspectos técnicos, mas com muito poder pessoal.

Na ponta de lá, Sergio Moro tem a esposa, Rosângela Maria Wolff Quadros, que é advogada. Ela vem da família Macedo, genealogia importante, que tem atores nos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário, além do empresariado. Nesse clã encontram-se figuras como Rafael Greca de Macedo, Beto Richa, empresários e desembargadores do Tribunal de Justiça, a conhecida ‘Macedônia’.

A esposa de Moro é advogada com relações com a Apae e daí cria-se uma conexão direta com a família Arns. Flávio Arns e o sobrinho advogado Marlus Arns. A relação foi concretizada com as Apaes, mas Marlus é advogado de muitos acusados da Lava Jato nas delações premiadas, defendendo inclusive Eduardo Cunha. E entra aqui a ligação com Carlos Zucolotto, as propostas feitas a Rodrigo Tacla Duran, e as relações expostas dos advogados da Lava Jato com operadores.

Leia a matéria completa, relembrando, na Agência Pública, clicando aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *