GGN: FOLHA SE DIZ RESPONSÁVEL POR ENVOLVER ODEBRECHT NO JULGAMENTO DE LULA, POR CÍNTIA ALVES

Repórter diz que passou 5 meses entre São Paulo capital e Atibaia, até encontrar engenheiro que admitiu ter participado da obra

Foto: Agência Brasil

Jornal GGN – Com Lula condenado a 12 anos e 11 meses de prisão no caso do Sítio de Atibaia, a Folha de S. Paulo publicou nesta sexta (8) uma matéria contando os bastidores da reportagem que arrastou a Odebrecht para a investigação da Lava Jato, por reformas no espaço. De acordo com a publicação, a Lava Jato só instaurou inquérito para apurar a participação da empreiteira nas melhorias no sítio por causa da contribuição do jornal.

O repórter Flávio Ferreira afirma no relato que foi escalado em setembro de 2015 para fazer uma reportagem de “fôlego” e independente dos “vazamentos” de delações premiadas e outros dados que, segundo admitiu o jornal, vinham do Ministério Público, da Polícia Federal, do Juízo ou dos advogados.

À época em que a Folha decidiu “arriscar” numa matéria especial, a Veja havia publicado que, nos bastidores da Lava Jato, ventilava-se que Léo Pinheiro, ex-OAS, faria um acordo de delação premiada em que narraria a participação da empresa na reforma do sítio.

A Lava Jato já está em curso e ocupando as capas dos principais jornais há pelo menos 5 anos. Outros jornais já ajudaram a operação a condenar Lula, como O Globo, que fez as primeiras reportagens sobre o triplex no Guarujá.

Ainda de acordo com a Folha, foram 5 meses de apuração até que, com ajuda de moradores e comerciantes locais, o repórter conseguiu chegar no engenheiro vinculado à OAS que admitiu ter participado da obra no sítio. Leia mais aqui.

A defesa de Lula informou que vai recorrer da decisão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *