A PSICOLOGIA DO ELEITOR E A IDENTIFICAÇÃO COM O CANDIDATO

Produção Afinsophia.

O eu de uma pessoa é o produto de suas vivências que começam na infância, apesar de ainda no útero materno já receber sensações do mundo exterior através da mãe. O eu é a faculdade maior da pessoa que não só manifesta conteúdos presentes do tempo e espaço como consciência, mas também impressões não visíveis no presente.

O eu representa os desejos, anseios, ideias, afetos, crenças, perspectivas, interesses, de todas as ordens psicológica, sociológica, econômica, política, estética, religiosa, antropológica, moral, etc. Ele é a identidade psicológica responsável pela relação da pessoa com o mundo em forma de trocas sociais. Por isso, o eu representa a realidade interior e exterior da pessoa.

Durante seu dia a dia, a pessoa realiza trocas com outras pessoas que confirmam sua realidade pessoal, mas, também, com elementos sociais, já que todo eu é social. Não importando o tipo de sociedade. O certo é que todas as relações são marcadas pelos corpos subjetivos e objetivos do eu da pessoa,  dando-lhe o caráter de transferência-projetiva no outro.

Assim, tratando-se de escolha, a pessoa faz transferência-projetiva no outro de acordo com sua estrutura de eu. O que significa que a escolha de objeto, ideia ou pessoa não é nada mais do a transferência-projetiva dos valores que essa pessoa acredita. Assim sendo, em tempo de eleições quem escolhe votar em candidato democrata, é porque tem um eu democrata. E quem escolhe votar em candidato nazifascista tem um eu nazifascista. Não há como esconder, porque seu interior, pelo voto, é exteriorizado. 

Por tal, é necessário, em tempo de eleições, prestar atenção em quem seu conhecido vota, porque, desta forma, você terá mais conhecimento dele. 

Escute o áudio Psicologia do Eleitor e Identificação com o Candidato produzido pela Associação Filosofia Itinerante (Afin).

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *