VEM PESQUISA VAI PESQUISA E HADDAD SEMPRE DISPARNDO. E O COISO? EMPACADO, FAZER O QUÊ?

Produção Afinsophia.

As pesquisas de intenções de votos têm duas formas de afetos. Uma esperançoso e outra confirmador. O primeiro afeto é expressado pelos que, teimosamente, resolveram se candidatar, por força de busca de reconhecimento. Um narcisismo cruel. Em cada pesquisa este tipo espera notícia alvissareira. Só espera. Esperança sem confirmação. O segundo afeto é positivação daquele que sabe que sua candidatura reflete a subjetividade de grande parte da população.

O primeiro afeto é próprio dos candidatos que se encontram distantes da subjetividade-popular. A que elege representantes democráticos na práxis da consciência do povo. Os distantes da subjetividade-popular são Ciro, Alckmin, Marina, e o Coiso, Bolsonaro. O último merece tratamento específico, porque se iludiu com suas próprias afecções-tristes ao acreditar serem suficientes para ser eleito. Acreditou que pregar a destruição das diferenças estaria eleito. Iludido não percebeu que os que se identificam com ele representam a minoria numérica da sociedade brasileira. Que não tem condições de eleger ninguém para cargo de presidente.

Por sua vez, Haddad, identificado com a subjetividade-popular caminha para o ganho maior: a eleição presidencial. Todas as pesquisas mostram sua contínua subida, como mostrou a última da CNT/MDA que lhe apresenta com uma subida de oito pontos comparado com a pesquisa anterior quando tinha 17,2%, e agora se encontra com 25,7%. Enquanto o coiso tinha 28,2% e na pesquisa nova continua empacado nos mesmos pontos.

Mas, a pesquisa, do segundo afeto, apresenta mais positivação. Haddad ganha o segundo turno com 42,7% contra 37,2% do coiso. Uma mostragem que se apresenta como início do fim das ambições do extrema-direita. O que significa que até o dia 28, dia do sendo turno, ele já deve ter perdido todas as esperanças. Se é que ele ainda hoje ele ainda a tem. 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *