1x1.trans - PESQUISA CNT/MDA CONFIRMA QUE A TIRANIA NÃO CALA A POTÊNCIA DA MULTIDÃO: LULA É ELEITO ATÉ NO PRIMEIRO TURNO. E DE QUEBRA MOSTRA QUE O PODER JUDICIÁRIO NÃO É CONFIÁVEL PARA 89, 3%

Produção Afinsophia. 

Nova pesquisa na parada só confirma o vício: Lula continua (continuará) imbatível. O que significa que não há candidato das direitas com qualquer condição de lhe ultrapassar. Direita, semi-direita extrema-direita, nenhuma tem representante para enfrentá-lo de igual para igual. É Lula e só Lula! Afirma a potência da multidão que nenhum Moro, Globo, empresários americanófilos e afins-golpistas podem calá-la. 

   A pesquisa CNT/MDA que entrevistou 2002 pessoas em 137 municípios de 25 estados das cinco regiões do Brasil, reafirmou o óbvio dos óbvios: Lula folgadíssimo à disputa para a presidência da República. Tudo que o antidemocratas odeiam e invejam. Invejam delirantemente, já que não têm as qualidades que Lula reflete.

    A pesquisa não só mostrou essa determinação dos entrevistados. Mostrou também, como todos os democratas, não confiam no Poder Judiciário. Para 89.3% dos entrevistados ele é pouco ou nada confiável. Contra nada mais de 6,4% o consideram confiável. Uma determinação lógica e necessária, posto que Lula foi condenado sem qualquer prova, só com a prova pessoal projetada pelos que lhe condenaram. Uma caso que vai além das enunciações judiciais chegando ao território da psiquiatria.

Na modalidade estimulada, Lula recebeu 32,4% das intenções de voto. Atrás dele vêm Jair Bolsonaro (PSL, 16,7%), Marina Silva (Rede, 7,6%), Ciro Gomes (PDT, 5,4%), Geraldo Alckmin (PSDB, 4,0%) e Álvaro Dias (Pode, 2,5%).

Fernando Collor (PTC), Michel Temer (MDB), Guilherme Boulos (Psol), Manuela D´Ávila (PCdoB), João Amoêdo (Novo), Flávio Rocha (PRB), Henrique Meirelles (MDB), Rodrigo Maia (DEM) e Paulo Rabello de Castro (PSC) não chegam a 1% das menções. Votariam em branco ou nulo, 18% dos eleitores e outros 8,7% se disseram indecisos.

Lula lidera também em todos os cenários propostos para o segundo turno pela pesquisa MDA/CNT. Aparece com 44,9% se o adversário fosse Geraldo Alckmin que teria 19,6% dos votos; venceria Bolsonaro (45,7%, contra 24,9%), Marina Silva (44,4% contra 21%), Henrique Meirelles (47,1% a 13,3%) e Michel Temer (49% a 8,3%).

O estudo também abordou a aprovação do governo de Michel Temer, que tem avaliação positiva para 4,3% dos entrevistados. A avaliação negativa foi de 71,2%, outros 21,8% o consideram regular e 2,7% não souberam opinar. O desempenho pessoal de Temer é aprovado por 9,7% dos eleitores, contra 82,5% de desaprovação, além de 7,8% que não souberam opinar. 

  Afinsophia com tabela da RBA.