ELEIÇÕES 2018
Partido argumenta que ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva não poderia ter sido excluído das sabatinas eleitorais por “quebra da isonomia”. Petista lidera todas as pesquisas
por Redação RBA.
 
Lula

Veículos resolveram colocar Álvaro Dias em detrimento de uma candidatura de grande relevância, diz PT

São Paulo – O PT entrou com uma representação no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com pedido de liminar contra a Folha de S. Paulo, o portal UOL e a emissora SBT por terem excluído o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a legenda das sabatinas eleitorais. O documento é assinado pela presidenta do partido, senadora Gleisi Hoffmann (PR).

O PT pede que seja dado espaço a um representante da candidatura de Lula. Argumenta que há  “quebra da isonomia por parte dos veículos” e lembra que o própria Folha informou anteriormente que os seis primeiros colocados nas pesquisa seriam convidados, mas substituiu Lula e o PT pelo senador Álvaro Dias (Podemos-PR), o sétimo colocado, que iniciou a série na segunda-feira (7).

“Os responsáveis pela realização das entrevistas resolveram, por conta própria, em detrimento de uma candidatura de grande relevância, chamar o pré-candidato subsequente, ignorando até mesmo vontade maior da população, ilustrada pelos resultados da pesquisa Datafolha de 15 de abril de 2018”, diz o partido na petição.

A legenda diz em seu site que tentou, na terça-feira (8), um acordo, mas que sua tentativa de negociar foi ignorada. A liminar pede também o cancelamento das sabatinas e a imposição de multa de até R$ 25 mil por campanha antecipada.

O partido cita informação publicada na versão online da Folha no dia 4 que a série de entrevistas começaria com os pré-candidatos à Presidência da República no dia 7 e que já estavam confirmados Álvaro Dias, Marina Silva (Rede) e Ciro Gomes (PDT), além dos pré-candidatos ao governo de São Paulo Luiz Marinho (PT), Márcio França (PSB), João Doria (PSDB) e Paulo Skaf (MDB).