Segundo os coordenadores, há suspeita de perseguição devido aos cursos oferecidos na casa, de formação do MTST

Redação RBA
Abaixo-assinado com mais de cinco mil assinaturas pede a reabertura do espaço fechado pelo tucano Orlando Morando - Créditos: Reprodução TVT
Abaixo-assinado com mais de cinco mil assinaturas pede a reabertura do espaço fechado pelo tucano Orlando Morando / Reprodução TVT

São Paulo – A Casa do Hip Hop, em São Bernardo do Campo, no ABC Paulista, foi fechada pela prefeitura na última terça-feira (8). O prefeito Orlando Morando (PSDB) conseguiu, na Justiça, retomar o espaço que abrigava o ponto de cultura, sob a alegação de irregularidade na prestação de contas e falta de assiduidade nas atividades prestadas. Os coordenadores, surpreendidos pela decisão,  suspeitam de perseguição, já que o espaço também abrigava curso de formação política do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST). 

Fundada há cerca de dez anos, além da promoção da cultura hip-hop a casa também promovia oficinas culturais e rodas de conversa com temas relacionados ao empoderamento feminino e questões LGBT, por exemplo. Obras pintadas por artistas locais e fotos históricas também fazem parte do acervo. 

O coordenador da casa, Luiz Carvalho, conta que tramitava na Justiça outro processo, desde maio do ano passado. “Para a nossa surpresa, o prefeito entrou com outro processo no mês passado pedindo a reintegração de posse”, afirmou ao repórter Leandro Chaves, para o Seu Jornal, da TVT.

“A Casa do Hip Hop abriu as portas para o MTST. Nós fazemos cursos de formação política aqui com a coordenação do nosso movimento. Ele (Morando) não avisou a coordenação da casa. É uma reintegração política”, afirma Anderson Dalécio, da organização do MTST.

Um abaixo-assinado com mais de cinco mil apoiadores pedindo que a reabertura da casa será anexado ao recurso contra a decisão da reintegração.

Assista à reportagem do Seu Jornal da TVT

Edição: Redação RBA