SEM PLANO B
Sugestão foi feita na tarde de hoje em visita da senadora Gleisi Hoffmann e do ex-governador Jaques Wagner, os primeiros fora do circuito da família e de advogados a visitarem o ex-presidente
por Redação RBA.
JOKA MADRUGAwagner-e-gleisi.jpg

Wagner e Gleisi: visita ao ex-presidente confirma a candidatura para enfrentar a crise e os retrocessos

São Paulo – A senadora Gleisi Hoffmann (PR), presidenta nacional do PT, e o ex-ministro e ex-governador da Bahia Jaques Wagner visitaram hoje (3) o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, preso desde 7 de abril na sede da Polícia Federal em Curitiba. Foram os primeiros a visitar Lula fora do circuito da família e de seus advogados, por causa das proibições mantidas até então pela Vara de Execuções Penais do Paraná.

Ao sair da sede da PF, Gleisi contou aos jornalistas que Lula pediu aos políticos do PT que olhem para a questão da habitação no país, em clara referência ao prédio ocupado no centro de São Paulo que desabou durante incêndio na madrugada do dia 1º. O ex-presidente fez sugestão para que se forme um grupo que estude soluções para a questão da moradia.

Gleisi disse que Lula está preocupado com a crise política. “Ele continua determinado a enfrentar tudo para poder trazer soluções para o país”, afirmou a senadora. Ela também explicou que o ex-presidente tem recebido informações da imprensa, tem todos os dados de seus governos na cabeça e está “acompanhando com muito cuidado as informações que são a base para seu plano de governo”, na perspectiva de manter-se candidato à Presidência nas eleições deste ano.

“Aqui no PT não tem plano B, nem X, nem Y”, disse Wagner em relação à candidatura de Lula. “Nós vamos com ele até o final da linha, eu pessoalmente não penso em outra coisa a não ser nessa caminhada para provar a inocência dele”, afirmou ainda. “A esperança dos brasileiros está aqui, cadê os outros candidatos?”, indagou. “A esperança e prosperidade do país estão ali, no quarto andar do prédio da PF”, acrescentou.

O ex-governador afirmou que Lula está indignado, por conta de sua inocência. Ee também muito firme: “Ele quer o patrimônio político e a inocência dele”.

registrado em: