Enviado por luis nassif

Primavera de Manaus 3: as primeiras represálias ao movimento

A ideia do movimento Manaus de Olho seria a de colher contribuições para fazer outodoors denunciando os vereadores que votaram a favor da taxa do lixo.

Tentaram cinco empresas de outodoors, em vão. Conseguiram uma no dia 30 de dezembro. No dia 31, a empresa desistiu, depois de receber uma ligação no meio da noite. Acabaram conseguindo emplacar dois outdoores. Por coincidência ou não, nenhum dos vereadores conseguiu se eleger deputado estadualnas eleições de 2010.

Depois da primeira investida, houve recesso no dia 31 de dezembro.

No dia 4 de janeiro, primeiro dia útil do ano, a CBN foi bater no ponto de trabalho de Bianca Abinader. Dois homens não identificados chegaram na casinha e perguntaram diretamente pela médica. Era óbvio que tinham ido com foco certo na médica.

Na Medicina de Família, o médico atende e faz a parte burocrática. Ao chegar ao seu posto, a equipe da CBN foi informada que Bianca estava no distrito, perto da unidade, respondendo à sua chefe. Não quiseram saber. Saíram da unidade com uma matéria imputando-lhe a pecha de ausente do trabalho.

Promotora de Justiça, integrante do Movimento, Jussara Pordeus intercedeu por Bianca. Telefonou a Ronaldo Tiradentes, disse-lhe que a médica estava grávida de oito meses e que era boa menina.

Ronaldo recorreu a um expediente comum no atual jornalismo. Se ela entregasse naquele dia um documenbto provando que estava trabalhando, não iria vericular a reportagem. Era 9 da noite, impossível encontrar a chefe.

No Twitter, Bianca acusou Ronaldo de chantagea-la com um pedido impossível de ser atendido àquela hora.

No dia seguinte, a CBN veiculou dez minutos de reportagem, mencionando várias vezes o nome de Bianca, e informando falsamente que há três meses ela não comparecia ao serviço.

Na hora em que a matéria foi veiculada Bianca estava no consultório da sua obstetra, aguardando consulta. Quando começou a reportagem, correu para seu carro, para ouvir. Ouviu a CBN detonando seu nome por dez minutos. Começou a passar mal.

Para não prejudicar a gravidez, a obstretra deu-lhe três dias de licença. Nos meses seguintes, só conseguia dormir à base de remédios.

Com o atestado, acompanhada da chefe do distrito, foi até a Secretaria Municipal de Saúde (SEMSA) para uma reunião com a subsecretária Denise Machado. Levou uma declaração de que, no momento da invasão da equipe da CBN Manaus, estava com a chefe tratando de assuntos da sua licença. E também uma declaração comprovando que jamais teve falta injustificada e não fora alvo de uma denúncia sequer da população de 5 mil pessoas atendidas por ela.

No rádio, Ronaldo havia dito que havia mais de mil denúncias diárias contra a médica.

Denise he garantiu que o Secretário de Saúde não iria misturar as coisas: se fosse boa funcionária, seria respeitada.

No dia seguinte, ligou o proprio Secretário da Saúde Francisco Deodato dizendo-lhe para não se preocupar. Bianca insistiu que queria uma sindicância, agora, para comprovar que trabalhava seriamente e limpar seu nome, sujado por Ronaldo Tiradentes..

A sindicância foi feita.

Foram sete dias de investigação. Recolheram as fichas e visitaram pacientes. Colheram o depoimento de sua chefe, informando que não havia nada que desabonasse sua conduta. Dos pacientes, 99% se disseram satisfeitos com a qualidade do serviço.

Mas o inquérito foi mantido sigiloso impedindo a médica de limpar seu nome.

Bianca entrou em licença no dia seguinte. Só um ano depois soube do resultado da sindicância. No dia 23 de feveiro de 2010 a denúncia foi arquivada. Comprovava que Tiradentes havia mentido sobre a médica.

Foi o relatório da primeira sindicância a que foi submetida.

declaracao_semsa_nada_consta_2010

Como a CBN nacional tratou as reclamações

Não foi melhor a sorte de outra líder do movimento, Carolina Coelho.

Depois dos primeiros ataques, enviou e-mail para Mariza Tavares, a diretora geral da rede CBN. Em vez de tomar providências, Mariza reenviou o e-mail para Ronaldo que imediatamente deu início à represália – indo até a empresa empregadora de Carolina pedir-lhe a cabeça.

Em e-mail que circulou depois disso, Carolina desabafou:

Isso tem a ver com a CBN Manaus. Eu mesma fui vítima do tal Ronaldo Tiradentes. Enviei e-mail para a sra. Mariza Tavares, solicitando esclarecimentos e ela “fez o favor” de encaminhar para o próprio Ronaldo Tiradentes responder. E em pouco dias ele tentou me intimidar no meu local de trabalho.

Minha história eu posso esclarecer posteriormente, caso seja necessário. Mas o fato é que ele fez mais uma vítima, das tantas que ele já tem por aqui.

Neste momento uma movimentação no twitter está acontecendo. Até quando a CBN vai manter-se calada, quando uma de suas filiais se comporta de maneira tão nojenta?

Bianca tirou seis meses de licença maternidade. No final de agosto, voltou para uma outra unidade, do Morro da Liberdade. Fazia visitas domiciliares.

Sob a complacência da CBN nacional, a obsessão doentia da CBN Manaus não parou por aí