No hinduísmo, Avatar é a reencarnação do deus Vixnu. O aparecimento sagrado aos seus discípulos. Uma mensagem transfiguradora, uma mudança transcendental. No entendimento comum é uma espécie de metamorfose. A passagem de uma forma para outra. Às vezes com retorno; outras, não. No conto de Kafka A Metamorfose, o personagem se transforma em um inseto e nunca mais retorna a vida familiar-burguesa psicótica. Tomando os dizeres do filósofo Spinoza, em todos os casos, o avatar é sempre a ação de um corpo-afecção sobre outro, causando-lhe um vestígio-efeito. Um afeto. No psicologismo, um sentimento.

PRIMEIRO AVATAR DE DONA RENATA

Dona Renata é uma típica representante da classe média amazonense. Como todos os adultos, nasceu, foi criança, adolescente, jovem, cursou economia, e agora é adulta. Nos significados comuns dos avatares, passou por várias transformações. Casou com um empresário do ramo dos combustíveis, teve filha, viajou, conheceu lugares vários, em sua condição burguesa, foi feliz. Um dia, sob a ação de um corpo-afecção, sentiu-se em transformação: outro avatar se aproximava.

SEGUNDO AVATAR DE DONA RENATA

Na ordem de outro afeto-duração, Dona Renata passou para um estado de reparação: revisar e entender sua existência de esposa-mãe. Entendeu que não era feliz. Haviam corpos-afecções que diminuíam sua alegria. Para ela, a causa de seu efeito-dor era seu marido Nei. Então, a reparação. Segundo, ela, apoiada por seus advogados, os irmãos Paixão, mais o senador do PSDB, Arthur Neto, e o empresário, um dos donos do jornal Diário do Amazonas, Cirilo, gravou um DVD mostrando sua relação, sofrida, com o marido Nei, e o círculo de amizade com o governador Eduardo Braga e sua esposa, Sandra Braga.

Em seu relato, conta que era maltratada fisicamente pelo marido, que fazia parte de uma quadrilha que fraudava licitações públicas com o aval de Eduardo Braga, chefe do grupo, que, por sua vez, quando bebe é agressivo e mulherengo, chegando certa vez a agredir sua esposa Sandra, que teve de fazer cirurgia de reparação na face, sendo ela, Renata, que comprara a passagem. O certo é que, diante de uma câmara fixa, fez vários relatos. Sempre mostrando, quando necessário, documentos que comprometiam o marido e o governador Eduardo Braga em corrupção.

O DVD chegou à imprensa e também ao candidato, na época, Amazonino, que oferecera, segundo contam, mais de dois milhões, hoje negado pelo próprio. Nas ruas, o DVD tornou-se tema de piada, com comentários que o mesmo iria bater o sucesso da Banda Calypso tal sua notoriedade urbana.

AVATARES OUTROS

Indignado, o senador Arthur Neto, resolveu tomar as suas providências: proteger Renata, e levar o material, nitroglicerina pura nas hostes “políticas” ajuricabanas, para a justiça em Brasília. Eduardo, por sua vez, foi à mídia, e em faces deprimidas, negou tudo, afirmando tratar-se de um caso de marido e mulher, chantagem, e ambição dos irmãos Paixão, que pretendiam um cargo no Poder Judiciário Amazonense. O empresário Cirilo, preocupado com possível atentado à sua vida, procurou proteção em seus guarda-costas. Como era tempo de eleição, alguns aficionados do governador procuraram defendê-lo, como foi o caso do comentarista da TV A Crítica, Paulo França, atribuindo o fato ao momento eleitoral, que sempre produz um Helena. Fala incauta, sem conhecer a filosófica de Ésquilo, cujo nome Helena significa “aquela que faz avançar. Aquela que abençoa”, nada de vulgar jornalismo. Nada de Renata. Nada de Soraia, a inventada amante de Serafim.

TERCEIRO AVATAR DE DONA RENATA

Ontem, dia 28, a imprensa publicou uma carta desmentido de Dona Renata, pedindo perdão à família Braga, afirmando que reatou com o marido Nei, e que foi pressionada a fazer tudo que fez por Arthur, os Paixão e Cirilo. Aceitou porque estava fragilizada. Foi à clausura, meditou muito, e agora quer uma vida normal junto com os seus.

DONA RENATA E DOIS FILÓSOFOS

Dona Renata pretende o perdão. O filósofo Nietzsche, com razão, diz que a experiência é ativa porque passa pelo sistema nervoso central. O perdão não passa, é imaginário. Logo, o perdão é uma ilusão. O filósofo Baudrillard afirma que com a informação no tempo real, tudo que é noticiado hoje; amanhã, em outro tempo real, não poderá ser desmentido. Resta apenas a crença no desmentido a quem interessa.

OS DOCUMENTOS NÃO TÊM AVATAR

Se os documentos apresentados por Dona Renata, para incriminar, na época, seu ex-marido, e o governador Eduardo Braga, forem verdadeiros, para a justiça não cai na ordem do perdão. Não podem reencarnar no passado. É prova jurídica hoje.

2 thoughts on “OS AVATARES DE DONA RENATA

  1. O que há por trás dessa “recaída” de dona Renata? O blog da AFIN explica. Interesses políticos de grupos, grupelhos que só se preocupam com seus próprios interesses, só que não adianta avatares, o que foi falado está registrado em imagens e graficamente. Os documentos estão todos comprovando a relação do governador com o Rosinei Costa Barros e estão com a Polícia Federal e na Procuradoria Geral da República e como crime deve ser investigado. Uma briga de marido e mulher serve para muita coisa. E uma delas, nas bandas governamentais, escancarar tramas, corrupção com o dinheiro público. E nem o prefeito eleito escapou dessa parada, porque R$ 2,5 (dois milhões e meio) é citado apesar da negativa de Amazonino. Nessa embolada toda, dança Nei, dança Dudu, só quem não pode dançar é a ética e a moral. A dignidade de um povo trabalhador, que luta para sobreviver enquanto a elite zomba, avacalha, esnoba tanto dinheiro que falta na vida do povo trabalhador. Valeu AFINSOPHIA.

  2. Companheiro Anônimo,
    o bloguinho apenas entra numa relação afetiva-afetante com você e o restante da população manauara, todos percebendo lucidamente a notícia, que não era novidade, mas que se cristalizou como real no momento da denúncia que Dona Renata fez. De todo modo, como diria Jean Baudrillard, numa sociedade virtual, depois que a notícia foi colocada como verdade, nunca mais ela será mentira, a população sabe e não tem avatar que consiga disfarçar.
    Valeu!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *