Baruch de Spinoza (1632-1677) é um filósofo holandês que, dentre outros, escreveu um livro chamado Ética, no qual trata dos afetos como a potência de um corpo de afetar e ser afetado de acordo com o encontro com outro corpo. Assim, existem bons encontros, aqueles que aumentam a potência de agir de um corpo na sua composição com outro, e maus encontros, aqueles que diminuem a potência de agir. Spinozeanamente, então, no encontro do corpo Aedes aegypti com um corpo ser humano, pode ser um bom encontro ao mosquito, mas não ao ser humano, que poderá ser acometido de DENGUE, que, sendo uma doença, há de diminuir a potência de agir desse corpo no mundo.

Tendo sempre em vista o caráter de serviço público do Bloguinho Intempestivo, e percebendo a situação epidemiológica da DENGUE no Brasil, vimos também participar dessa campanha educativa que vem sendo desenvolvida pelo Ministério da Saúde. Seguindo esse entendimento, compartilhamos esta fotocolagem* como contribuição à campanha de prevenção a esta doença e aos cuidados necessários no caso de ela vir a ser contraída.

1x1.trans - CAMPANHA SPINOZISTA

O QUE É DENGUE?

A dengue é um dos principais problemas de saúde pública no mundo. A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que entre 50 a 100 milhões de pessoas se infectem anualmente, em mais de 100 países, de todos os continentes, exceto a Europa. Cerca de 550 mil doentes necessitam de hospitalização e 20 mil morrem em conseqüência da dengue.

COMO SE CONTRAI?

A dengue não é transmitida de pessoa para pessoa. Seu principal vetor é o mosquito Aedes aegypti que, após um período de 10 a 14 dias, contados depois de picar alguém contaminado, pode transportar o vírus da dengue durante toda a sua vida. O ciclo de transmissão ocorre do seguinte modo: a fêmea do mosquito deposita seus ovos em recipientes com água. Ao saírem dos ovos, as larvas vivem na água por cerca de uma semana. Após este período, transformam-se em mosquitos adultos, prontos para picar as pessoas. O Aedes aegypti procria em velocidade prodigiosa e o mosquito adulto vive em média 45 dias.

QUAIS OS SINTOMAS?

Após a picada do mosquito, os sintomas se manifestam a partir do terceiro dia. O tempo médio do ciclo é de 5 a 6 dias.O intervalo entre a picada e a manifestação da doença chama-se período de incubação. É depois desse período que os sintomas aparecem:

DENGUE CLÁSSICA:

Febre alta com início súbito· Forte dor de cabeça· Dor atrás dos olhos, que piora com o movimento dos mesmos· Perda do paladar e apetite· Manchas e erupções na pele semelhantes ao sarampo, principalmente no tórax e membros superiores· Náuseas e vômitos· Tonturas· Extremo cansaço· Moleza e dor no corpo · Muitas dores nos ossos e articulações.

DENGUE HEMORRÁGICA:

Os sintomas da dengue hemorrágica são os mesmos da dengue comum. A diferença ocorre quando acaba a febre e começam a surgir os sinais de alerta:· Dores abdominais fortes e contínuas. Vômitos persistentes · Pele pálida, fria e úmida· Sangramento pelo nariz, boca e gengivas· Manchas vermelhas na pele· Sonolência, agitação e confusão mental· Sede excessiva e boca seca· Pulso rápido e fraco· Dificuldade respiratória· Perda de consciência.

QUAIS OS TRATAMENTOS?

Ao ser observado o primeiro sintoma, deve-se buscar orientação médica no posto de saúde mais próximo. A reidratação oral é uma medida importante e deve ser realizada durante todo o período de duração da doença e, principalmente, da febre. O tratamento da dengue é de suporte, ou seja, alívio dos sintomas, reposição de líquidos perdidos e manutenção da atividade sangüínea. A pessoa deve manter-se em repouso, beber muito líquido (inclusive soro caseiro) e só usar medicamentos prescritos pelo médico, para aliviar as dores e a febre.

As pessoas que já contraíram a forma clássica da doença devem procurar, imediatamente, atendimento médico em caso de reaparecimento dos sintomas agravados com os sinais de alerta, pois correm o risco de estar com dengue hemorrágica, que é o tipo mais grave. Todo tratamento só deve ser feito sob orientação médica.

O QUE SE PODE FAZER PARA EVITAR ISSO?

Como é praticamente impossível eliminar o mosquito, é preciso identificar objetos que possam se transformar em criadouros do Aedes. Por exemplo, uma bacia no pátio de uma casa é um risco, porque, com o acúmulo da água da chuva, a fêmea do mosquito poderá depositar os ovos neste local. Então, o único modo é limpar e retirar tudo que possa acumular água e oferecer risco.**

COMO OS GOVERNOS MUNICIPAIS E ESTADUAIS DEVEM ATUAR?

Além do aparelhamento responsável dos postos e hospitais, que são de suas responsabilidades, estes governos devem observar outras questões, sobretudo o saneamento básico das cidades. A proliferação da dengue não ocorre somente nas residências; por exemplo, nessa fotocolagem que aqui postamos, a rua não é uma criação digital, é a rua Rio Jaú, no Novo Aleixo (Manaus-AM), que há dois anos está nesta situação. Pela imagem, percebe-se ser um lugar propício para uma boa composição ao Aedes aegypti, mas terrível para os moradores, que não querem fazer composição nem com a dengue nem com estes governos.

* O rapaz que participou da fotocolagem chama-se Adriano William e é morador da rua Rio Jaú (Manaus-AM).

** As informações sobre a dengue foram retiradas do Portal do Ministério da Saúde, onde você pode se informar sobre muitas outras questões referentes à dengue.